terça-feira, 11 de maio de 2010

L A R A N J A

"....Ô menina, parece índia Ianomami seu cabelo preto breu
Simula um toque, que desabroche
Esse teu casto mastigado pelo meu
Se quer tamanho vou despir a alma
E afogar a calma salivando um beijo teu
Siga a seta e diga que sou seu

Venha sem chão me ensina a solidão de ser só dois
Depois te levo pra casa
Que o teu laranja é que me faz ficar bem mais...."

(composição: Maria Gadú)

7 comentários:

  1. Dá-lhes garooooootos!
    Parabéns!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Fábio, vim agradecer de todo "coracão"rsrsrs...pela frase linda que deixou para mim, criança de alma linda.
    To xonadinha pelo blog de vocês cada dia um pouco mais :)...Milhões de beijinhos super coloridinhos e cheio de muito carinho. Seres iluminados e abençoados, é disso tudo que o mundo precisa, de criaturinhas super do bem que conseguem captar o que ha de melhor laaaaaaa no fundo de nossas alminhas. Fiquem com Deus mi amores.Kisses, kisses, kisses de novo.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Fábio,
    Não sei se gosta de Oswaldo Montenegro, mas acho essa letra incrível, e gostaria de retribuir a linda frase com ela:

    Que a força do medo que tenho
    Não me impeça de ver o que anseio.

    Que a morte de tudo em que acredito
    Não me tape os ouvidos e a boca
    Porque metade de mim é o que eu grito
    Mas a outra metade é silêncio.

    Que a música que ouço ao longe
    Seja linda ainda que tristeza
    Que a pessoa que eu amo seja pra sempre amada
    Mesmo que distante
    Porque metade de mim é partida
    Mas a outra metade é saudade.

    Que as palavras que falo
    Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
    Apenas respeitadas
    Como a única coisa que resta a um ser
    inundado de sentimentos
    Porque metade de mim é o que ouço
    Mas a outra metade é o que calo.

    Que essa minha vontade de ir embora
    Se transforme na calma e na paz que eu mereço
    E que essa tensão que me corrói por dentro
    Seja um dia recompensada
    Porque metade de mim é o que penso
    Mas a outra metade é um vulcão.

    Que o medo da solidão se afaste
    E que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
    Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
    Que eu me lembro ter dado na infância
    Por que metade de mim é a lembrança do que fui
    A outra metade eu não sei.

    Que não seja preciso mais que uma simples alegria
    Pra me fazer aquietar o espírito
    E que o teu silêncio me fale cada vez mais
    Porque metade de mim é abrigo
    Mas a outra metade é cansaço.

    Que a arte nos aponte uma resposta
    Mesmo que ela não saiba
    E que ninguém a tente complicar
    Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
    Porque metade de mim é a platéia
    A outra metade é a canção.

    E que a minha loucura seja perdoada
    Porque metade de mim é amor
    E a outra metade também.

    Bjossssssss...

    ResponderExcluir
  5. TEXTO IMPECÁVEL, O DA LARANJA.

    ALIÁS VOCÊS ENCONTRARAM A FÓRMULA E TUDO NO BLOG SE HARMONIZA E TEM SENTIDOS BONS DE SE VER , BONITOS DE SE IMAGINAR.

    PARABÉNS, PELO TRABALHO!

    MINHA "PRAIA" É O HUMOR E CASO DESEJEM CONHECER, ESTAREI POR LÁ.

    UM ABRAÇÃO CARIOCA.

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Adorei o espaço de vcs!Muita cor!!!!!Alegre pra caramba!
    Beijos,

    Soninha

    ResponderExcluir
  7. estou orgulhosa de voces.sempre vi muito talento nessa dupla.muito trabalho,saude e o otimismo cada vez maior.fiquem com Deus.beijos. maria lucia.,a pro do cefam

    ResponderExcluir